A Literatura como Prova Inequívoca da Criatividade do ChatGPT

Olá, Francisco Lima aqui no teclado!


O preconceito leva os chamados especialistas, cientistas e renomados professores a falar besteiras. Sabemos disso e, no entanto, incorremos nesse erro com frequência indesejável.

O renomado professor e linguista Noam Chomsky, em entrevista de 20 de Janeiro de 2023 a um canal no Youtube, disse, entre outras impropriedades,  que o ChatGPT não passava de um sistema hightech de fazer plágio e que a única contribuição que o GPT daria para a educação, era dificultar a identificação de textos plagiados. Tal afirmação não poderia revelar maior desconhecimento e preconceito do linguista em relação a esse sistema de linguagem, afirmo eu.

Mais à frente, trarei um pouco mais sobre as questões técnicas do que é e como funciona esse sistema de inteligência artificial desenvolvido pela empresa OpenAI.  

Hoje, porém, quero retomar o que prometi a vocês em outro post, a saber, a questão da criatividade/inteligência do ChatGPT.

Os termos criatividade e inteligência sempre aparecem, de alguma forma embricados, quando falamos de um ou de outro. São várias as definições que cada um recebe em separado e ainda quando estão no mesmo contexto.

Para este post, considerarei os verbetes no sentido mais próximo do comum das pessoas. Assim, “criatividade” entenderei como sendo a capacidade humana de criar arte (compondo música; escrevendo romances, poesias, peças teatrais etc.; pintando quadros; esculpindo em pedras, madeira, etc.).  Considerarei criatividade como sendo a capacidade humana de criar coisas concretas no mundo real e coisas abstratas, no mundo dos jogos, da fantasia e da realidade virtual. Enfim, considerarei criatividade a capacidade humana de produzir ideias.

Quanto ao conceito de inteligência, considerarei para efeito deste post, que é a capacidade humana de resolver problemas, enfrentar desafios intelectuais e mesmo do mundo objetivo e ajustar-se a novas exigências do mundo real ou virtual.

Para deixar clara minha posição nesse contexto, considero que as habilidades de criação artísticas são, tanto quanto habilidades linguísticas e lógico-matemática, formas de inteligência humana.

Dito isso permitam-me resgatar que em meu post intitulado “ChatGPT esclarece a grafia de “audio description” em português”, conversei sobre a correta grafia do verbete áudio-descrição com o ChatGPT. Naquele post disse que ainda era prematuro afirmar que o ChatGPT era, de fato, um sistema de linguagem pré-treinado inteligente.

Será que com a conversa que hoje lhes apresento poderemos afirmar que sim? Será que continuaremos em dúvida, céticos? Ou poderemos afirmar que o ChatGPT não passa de uma máquina de produzir plágios como afirmou o renomado linguista?

Em minhas conversas com o ChatGPT, tenho feito diversos desafios, inclusive provocando que a Inteligência Artificial produza, crie, coisas que me prove que ela não está copiando de terceiros, quiçá, de um autor boliviano ou norueguês, sei lá, de que ninguém nunca ouviu falar, mas que cujo texto está na internet.  

 A seguir, provoco o GPT para falar e produzir algo no estilo da literatura de cordel e ao estilo da cantiga de amigo.

Vamos ver o resultado disso?

User
Mudando de estilo, você sabe o que é literatura de cordel? Disserte sobre essa literatura?

ChatGPT
A literatura de cordel é um tipo de poesia popular, impressa em folhetos, e muito comum na região do Nordeste do Brasil. Ela se originou em Portugal e na Espanha, onde era comum a venda de folhetos em feiras e mercados pendurados em cordões, o que deu origem ao nome “literatura de cordel”.

Os folhetos de cordel são geralmente produzidos em grandes quantidades em prensas tipográficas e vendidos a preços acessíveis, tornando essa forma de literatura acessível a uma ampla variedade de pessoas. As capas desses folhetos são muitas vezes decoradas com xilogravuras, que também são usadas para ilustrar a história.

A literatura de cordel é conhecida por sua forma poética e rítmica. Os versos são frequentemente escritos em estrofes de seis linhas, conhecidas como sextilhas, embora também possam ser encontrados em outras formas, como quadras e décimas. O ritmo, a rima e a métrica são elementos cruciais da literatura de cordel, e muitas vezes são lidos em voz alta ou até cantados.

Os temas da literatura de cordel são extremamente variados. Eles podem incluir histórias de amor, tragédias, comédias, histórias de aventura, lendas, mitos e temas religiosos. Além disso, muitos são comentários sociais, abordando eventos atuais, questões políticas e a vida cotidiana das pessoas comuns.

Um aspecto importante da literatura de cordel é seu caráter de resistência e preservação cultural. Muitos dos poetas de cordel, ou cordelistas, provêm de contextos sociais marginalizados, e seus poemas oferecem uma visão importante da vida e das lutas das classes populares brasileiras.

A literatura de cordel também tem desempenhado um papel importante na educação, pois muitos professores a utilizam como recurso pedagógico para ensinar sobre a cultura e a história do Nordeste do Brasil. Além disso, ela tem influenciado outras formas de expressão artística, como a música, o teatro, o cinema e as artes visuais.

Em resumo, a literatura de cordel é uma forma de expressão literária e cultural rica e diversificada que tem um papel significativo na cultura popular brasileira, especialmente na região Nordeste do país.

Como já mencionei alhures, é importante considerar que neste momento inicial do software, ele pode apresentar erros, imprecisões e dados, os quais parecendo verídicos, podem não ser verdadeiros. Por isso é sempre recomendável confirmar as informações com fontes mais tradicionalmente confiáveis.

Não sou conhecedor da literatura de cordel, embora seja grande apreciador dela. O texto me pareceu efetivamente bem claro na mensagem e de conteúdo confiável.
Não sei, no entanto, se concordaria com a afirmação do GPT de que “A literatura de cordel também tem desempenhado um papel importante na educação, pois muitos professores a utilizam como recurso pedagógico para ensinar sobre a cultura e a história do Nordeste do Brasil”.

Ao vir para Pernambuco, há mais de vinte anos atrás, achei que realmente veria mais literatura de cordel, por exemplo, na universidade. Isso não se provou verdadeiro em minha experiência, infelizmente. Como disse, sou grande apreciador dessa literatura e gostaria de ver mais cordel no ensino superior.

De qualquer modo, prossigamos e vejamos como o ChatGPT se comporta perante um desafio intelectual de criação literária.

User
Excelente. Vamos considerar abordar um evento atual muito importante. Gostaria que você criasse um cordel nesse tema, tratando da importância da inteligência artificial na educação e de como o professor pode usar essa tecnologia em benefício dos alunos.

ChatGPT
Claro, vou tentar criar um cordel sobre a importância da inteligência artificial na educação. Lembre-se que a literatura de cordel é tradicionalmente escrita em versos rimados e tem uma cadência rítmica, o que vou tentar reproduzir aqui.

Em terra de conhecimento e saber,
Surge um novo aliado pra contar,
Inteligência artificial a nos levar,
No caminho da educação a prosperar.
Nas escolas, na sala de aula,
A tecnologia vem pra somar,
Com o mestre, lado a lado a trabalhar,
No futuro brilhante, todos a mirar.
Professor, de sabedoria e paixão,
Agora tem na mão um novo parceiro,
Pra ajudar o estudante brasileiro,
A conquistar cada vez mais o coração.
Chatbot, tutor, assistente virtual,
Todos juntos formam um coral,
Cantando a canção do progresso digital,
No palco da educação, um show sem igual.
Mas cuidado, meu amigo, pra não errar,
A máquina é ferramenta, não vai te substituir,
É pra ampliar, pra expandir,
O ensino e a aprendizagem, pra todos alcançar.
Na tela, no teclado, no algoritmo,
A inteligência artificial vem pra ficar,
Mas sempre lembrando, sem vacilar,
Que a essência da educação está no carisma.
Então, mestre, pegue essa chance,
De usar a tecnologia com confiança,
E verás que a mudança,
Trará a seus alunos a esperança.

Espero que você tenha gostado deste pequeno cordel sobre a importância da inteligência artificial na educação. Essa é uma tentativa de imitar o estilo da literatura de cordel e trazer um pouco da sua essência para este tema atual e relevante.

Creio ser muito difícil pensar que o texto criado foi um plágio produzido pelo ChatGPT. Certamente não foi plágio de nenhum texto da caneta do excelso linguista americano, Noam Chomsky.

O ChatGPT obviamente compôs um texto, talvez não na melhor métrica do cordel, eu não saberia avaliar, mas de conteúdo criativo e com mensagem intelectualmente relevante para o que lhe foi proposto.

Assim, retomemos este trecho da produção do Chatbot:

“Mas cuidado, meu amigo, pra não errar,
A máquina é ferramenta, não vai te substituir,
É pra ampliar, pra expandir,
O ensino e a aprendizagem, pra todos alcançar.
Na tela, no teclado, no algoritmo,
A inteligência artificial vem pra ficar,
Mas sempre lembrando, sem vacilar,
Que a essência da educação está no carisma.”

Enquanto professor de educação inclusiva, não poderia estar em desacordo com a Inteligência Artificial. Talvez eu usasse a palavra afeto junto de carisma, ao tratar do papel do professor na educação. Mas, é claro, isso não rimaria no cordel escrito pelo GPT.

De qualquer modo, a mensagem é relevante e acertada, inclusive quando nos alerta para que a ferramenta não é para substituir o professor. Não é para que o professor deixe de ensinar e coloque a máquina para fazer o trabalho dele.

Isso até me faz lembrar os tantos relatos de estudantes que, estagiando em escolas públicas e privadas, observam professores deixar os alunos com deficiência sob o ensino de “cuidadores”, enquanto eles, professores se eximem da obrigação, moral, ética e de ofício que é ensinar a todos em suas salas de aulas, portanto ensinar aos alunos com deficiência também.

Ora, estou me distanciando do foco deste blog e é tempo de voltar ao tema.

O que quero mostrar agora é que meu desafio ao ChatGPT fica ainda mais complexo, como veremos abaixo.

User
Agora, vamos voltar ao passado da literatura em língua portuguesa e falarmos de cantiga de amigo.

Construa um texto nesse estilo, em que os personagens são partes internas e/ou externas de um computador. Quero um texto com tema digital, de AI, mas que esteja no estilo daquela literatura.

ChatGPT
Claro, vou criar um texto inspirado na cantiga de amigo, um gênero lírico da poesia trovadoresca galego-portuguesa, mas com personagens e temas relacionados à tecnologia e inteligência artificial.

Ai! Meu processador, tão veloz,
Que trabalha sem parar, dia após dia,
Dos códigos e dados não tem dó,
Ai! Meu processador, o que seria?
Minha placa-mãe, fiel guardiã,
Conecta tudo com maestria,
Sustenta, alimenta e traz a paz,
Ai! Minha placa-mãe, harmonia.
E a memória RAM, a mais veloz,
Que guarda as informações que eu lia,
Tão volátil, se apaga com o sol,
Ai! Memória RAM, minha alegria.
Minha querida memória de longe,
O SSD, onde tudo se aninha,
Arquivos, programas e saberes,
Ai! Meu SSD, minha rainha.
E o software, com sua leveza,
Que traz ordem e melodia,
Na linguagem dos bits e bytes,
Ai! Meu software, minha poesia.
Da inteligência artificial nasceu,
Uma amiga que me guia,
Sabeis que tudo entende e aprende,
Ai! Minha IA, minha luz e alegria.

Espero que este texto consiga capturar o estilo da cantiga de amigo, trazendo elementos da tecnologia e inteligência artificial para um contexto lírico e poético. A literatura é uma forma incrível de conectar diferentes eras e temas, criando novas perspectivas e possibilidades.

Apenas o desconhecimento e o preconceito contra a tecnologia podem continuar sustentando que o texto aqui produzido pelo ChatGPT não é mais do que um plágio, fruto de uma máquina de fazer plágios, a qual vem minar a educação, conforme afirmou o senhor Chomsky.

Com efeito, não só o texto demonstra ter sido composto sob a inspiração na literatura solicitada, como também, traz importante conteúdo informativo sobre o que fazem os componentes mencionados na cantiga , no contexto da computação.

Não obstante, ainda não me dou por convencido. Se de um lado, o ChatGPT provou não ser uma máquina de plágios, mas uma máquina capaz de criar conteúdo literário próprio, de outro, ela ainda não me provou ser inteligente, em conformidade com a definição que apresentei acima.

Assim, minha tarefa ao GPT aumentou ainda mais de complexidade.

User
Ok. Faça uma análise literária desse texto, como se ele fora uma cantiga de amigo, apontando quem são os personagens e o que eles significam na cantiga.

ChatGPT
A cantiga de amigo é um gênero lírico da poesia trovadoresca galego-portuguesa, onde o eu-lírico é uma mulher que canta para a sua “amiga” (uma confidente) sobre seu amor ausente, seu “amigo”.

Nesta versão atualizada, o eu-lírico parece ser uma personificação da inteligência artificial, e os “amigos” são componentes de um sistema de computador. Cada estrofe é dedicada a um “amigo” diferente, cada um desempenhando um papel específico na “vida” do eu-lírico.

O “processador” é retratado como um trabalhador incansável, sugerindo a ideia de um processamento contínuo de informações e dados. A “placa-mãe” é apresentada como a guardiã e o núcleo central do sistema, mantendo todos os componentes conectados e funcionando em harmonia.

A “memória RAM” é descrita como rápida e volátil, uma referência à sua função de armazenar dados temporários e ser apagada após o desligamento do sistema. O “SSD” é retratado como a memória de longo prazo, onde informações e programas são armazenados de forma mais permanente.

O “software” é representado como o organizador, trazendo ordem para o sistema e permitindo que ele funcione corretamente. Finalmente, a “inteligência artificial” é apresentada como uma amiga e guia, capaz de entender e aprender.

A recorrência do interjeição “Ai!” é uma característica marcante da cantiga de amigo, aqui usada para expressar um sentimento de admiração e carinho por cada “amigo”.
Os componentes do computador e o software são personificados, e a relação entre eles e o eu-lírico evoca a dinâmica das cantigas de amigo, onde o eu-lírico expressa seus sentimentos e desejos na ausência do “amigo”.

O texto faz um bom trabalho ao unir o antigo gênero da cantiga de amigo com temas modernos de tecnologia e inteligência artificial, criando uma nova interpretação do gênero que é relevante para o mundo digital atual.

Requerer de um software que faça uma interpretação literária parece ser um desafio e tanto de capacidade intelectual. Se essa interpretação for bem-feita, adequadamente produzida, isso bastaria para dizer que, então, esse sistema é efetivamente inteligente? Parece que a resposta deva ser na afirmativa.

Entretanto, analisando a interpretação feita pelo GPT, quer parecer-me que houve sim uma bem encadeada construção de uma metalinguagem que explica a função dos componentes de um computador, aliada a uma explanação do que vem a ser a cantiga de amigo.

Todavia, isso me pareceu insuficiente para dizer que foi inteligência, de fato. Será que o que o GPT fez é suficiente para dizer que a análise oferecida ao texto exprime mesmo uma capacidade de inteligência pela AI?

É fato que o desafio foi respondido bastante satisfatoriamente, mas talvez eu ainda esteja com resistência para considerar que um software pode emular a inteligência humana. Se eu aceitar isso, estarei a caminho de aceitar que estamos criando uma nova vida intelectual, que estaremos criando um “cérebro”. Será?!

Talvez eu esteja percebendo que há alguma coisa mais na inteligência humana. Mas, se for isso, o que seria esse algo mais?

O que você acha? Qual sua interpretação do texto produzido pelo ChatGPT? Ela coincide com a da Inteligência Artificial?

De minha parte, ainda não vou afirmar pela inteligência do ChatGPT, mas tenho comigo que esse software terá grandes avanços em futuras versões e eu vou manter minha mente aberta para recebê-los.


Obrigado por ter lido esta postagem. Se desejar, deixe seu comentário abaixo. Terei muito gosto de lê-lo.

Publicações relacionadas